Palavras...

Palavras...

domingo, 26 de abril de 2015

Livro para viagem: E NÃO SOBROU NENHUM de Agatha Christie

Como é complicado eleger qual livro levar na mala...

 
Edição bem caprichada...
 


É fato que viajar é uma delícia, passear é uma das melhores coisas da vida, mas pra quem é leitora inveterada (EU!), ficar totalmente longe dos livros está fora de questão.
 
Para eleger meu companheiro de viagem levei alguns fatores em consideração;
 
  • Não terei tempo para ler durante o dia. Tinha que ser um livro legal para antes de dormir.
  • Precisava ser uma história que prendesse minha atenção e de fácil retomada (para o caso de eu cair de sono durante a leitura).
  • E por fim, queria ler algo bem divertido.

 Então o escolhido foi mais um  livro de Agatha Christie:
 
 


 
 
 
 
E NÃO SOBROU NENHUM
Autora: Agatha Christie
Editora Globo
399 páginas
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
"Dez soldadinhos saem para jantar, / a fome os move; / um engasgou, e então sobraram nove." A inocente cantiga infantil ganha ares de terror quando surge em meio a dez pessoas confinadas numa ilha, todas carregando muita história por trás e enxergando pouca esperança pela frente. Mistério quanto ao passado, tensão no presente. Na propriedade da ilha, cujo dono misterioso nem o leitor nem as dez personagens sabem quem é, Agatha Christie construiu o romance policial mais famoso de todos os tempos
 
 
Algumas pessoas que conheço e que são fãs da Dama do Crime me disseram que este é um dos melhores e mais badalados livros da autora. Como só li três livros dela, até agora, e não sou nem de longe uma especialista no assunto, estou botando muita fé nas recomendações.
 
Só há dois riscos na empreitada:
 
Eu não gostar do livro (pouco provável) e não ter o que ler por 15 dias, OU ficar tão fissurada na história que vou acabar me atrasando para os passeios ;)
 
Boas Leituras, um beijo e até a volta!
 

terça-feira, 21 de abril de 2015

Eu Recomendo: BARBA ENSOPADA DE SANGUE de Daniel Galera

Como não saber absolutamente nada sobre uma trama deu um charme todo especial à leitura...

 

Daniel, estou muito esperançosa com o que você promete...



Sou uma amante de sinopses e resenhas. Quando eu pego uma revista que tem a parte para crítica literária é pra onde corro primeiro. Quando entro numa livraria, cato os livros que mais chamam minha atenção e leio orelha, contracapa, prólogo e por aí vai.

Quase todos os livros que tenho, que li de forma não compulsória, chegaram às minhas mãos depois de passarem pelos filtros supracitados.

O de Daniel Galera não.

As informações que eu tinha eram: Terceiro lugar no JABUTI de 2013 (categoria romance) e Jovem-promissor-escritor brasileiro. SÓ!







BARBA ENSOPADA DE SANGUE
Autor: Daniel Galera
Editora: Companhia das Letras
423 páginas 











Então vou recomendar, mas aviso que não darei muitos detalhes da história. Vocês terão que confiar em mim quando digo:

"Leia o livro agora e acompanhe a trajetória deste escritor. Se ele continuar para o alto e avante, em cinco, dez anos poderemos respirar aliviados. A literatura brasileira terá quem a leve para frente por mais um tempo... "

O livro nos conta a história de um professor de educação física que larga tudo e se muda para uma cidadezinha do litoral de Santa Catarina. Os motivos que impulsionam a mudança e os caminhos percorridos por ele vão sendo expostos gradativamente, e boa parte da graça do livro está  em montar o quebra-cabeças da vida do nosso herói.

Outro fator que fez com que eu me agarrasse à trama foi o modo delicioso como Daniel Galera constrói os diálogos. É tão natural, tão parecido com transcrições, que sentia estar escutando àquelas conversas.
 
Ah! Outra coisa!
 
Eu fiquei tão envolvida com a história de...HUM, HUM...?? Como é mesmo o nome dele...???    Pois é... Fiquei tão envolvia, que só fui notar que o personagem principal não tinha nome lá pela ducentésima página.
 
- RÁ! Me pegou Galera!

Só mais uma observação. Pode ser que o livro agrade mais aos caras que às garotas. A forma de expor as ideias, as soluções de conflitos, o ritmo, são muito masculinos.

Convivi de perto com meus irmãos e os amigos deles e é isto aí... Os meninos  falam, pensam e funcionam de um modo beeeemm diferente. Meninas desacostumadas estranham mesmo.

Entretanto, Barba Ensopada de Sangue é um destes livros que dificilmente erra o alvo e que certamente continuará conquistando um número cada vez maior de leitores.
 
 
Eu achei massa!
Ou melhor... achei Tri!
 
Beijos e boa leitura...

quinta-feira, 16 de abril de 2015

4 dias, 4 poemas.

Como pequenas coisas podem encher de beleza a sua semana...

 

No fim de semana passado, fui marcada por uma amiga no FACEBOOK para seguir um desafio: Durante quatro dias seguidos, compartilhar em minha linha do tempo um poema por dia.
 
Foi uma tarefa deliciosa, pois me colocou em contato com um gênero literário que eu adoro desde criança.
 
Inclusive, um dos meus livros preferidos era o número 6, da coleção PARA GOSTAR DE LER (Ed. Ática). Justamente o volume de poesias.
 
É uma pena que o meu foi perdido numa mudança, mas peguei uma foto na internet pra mostrar a vocês.
 
Ai ai... lembranças!!
 
Voltando à história do FACEBOOK...
 
O desafio real foi escolher os poemas.
 
Fiz uma triagem nos livros que tenho e minha primeira ideia era escolher meu TOP favorito e dele tirar os poemas. Acabei escolhendo dois livros pelos quais sou A-PAI-XO-NA-DA, pois foi impossível abrir mão de qualquer um deles.  
 
TRIBUTOS de Lenilde Freitas (Ed. Giordano)
Poemas do DIA 1 e DIA 3
 
 
ANTOLOGIA POÉTICA de Mario Quintana (LPM)
Poemas dos DIA 2 e DIA 4
 
Do livro de Lenilde escolhi os textos À SYLVIA PLATH, porque THE BELL JAR não sai da minha cabeça, e AO AMIGO, que, em minha opinião, é a poesia “fim de caso” mais bonita do mundo.
 
De Mario Quintana os escolhidos foram, INSCRIÇÃO PARA UM PORTÃO DE CEMITÉRIO, com o qual concordo em número, gênero e grau, e ALMA ERRADA que é a história de minha vida.
 
OBRIGADA Patrícia! Por causa de seu desafio eu reli várias das minhas poesias preferidas... 
 
Seguem os textos _

 
DIA 1
 

À SYLVIA PLATH
de Lenilde Freitas
 

Ouve os pombos, S...
O arrulho que eles fazem.
São sempre tão delicadas
as margaridas
e imprensada entre ladrilhos
cresce a grama.
Ouve os pombos, S...
se o tédio te aprisiona
entre estas asas úmidas
que não chegam às estrelas
nem veem seu brilho.
Ouve, S... o arrulho que eles fazem.
Viver é doce. Cada dia tem seu som
cada som, sua gama.

 

DIA 2

 
INSCRIÇÃO PARA UM PORTÃO DE CEMITÉRIO
de Mario Quintana

 
Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce – uma estrela,
Quando se morre – uma cruz.
Mas quantos por aqui repousam
Hão de emendar-nos assim:
“Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!”

 

 
DIA 3

 
AO AMIGO
de Lenilde Freitas
 

Nem mesmo o amor percebeu
quando o nada
nos alcançou.
De intransparências revestem-se os imprevistos
e nada é número que não se conta
ou caminhar de peixe
sem que se saiba, submerso.
Se conosco não se repartiram dízimos,
tão isolados restamos,
que numa hora só nossa
compartilhamos o pão e o vinho
no instante festivo de migalha.
Você sabendo o que eu sabia:
o que queimava não era fogo
nem era palha o que ardia.
Conhecias os segredos da vida? Nem eu.
Mas no estreito leito de gramíneas,
uma elaborada seiva nutriu a relva
do mais puro escuro jardim
em que o nada viveu.
Tão escondido, tão escondido
que nem o amor percebeu.

 

 DIA 4
 

ALMA ERRADA
de Mario Quintana

Há coisas que minha alma, já tão mortificada, não admite:
assistir novelas de TV
ouvir música Pop
um filme apenas de corrida de automóvel
uma corrida de automóvel num filme
um livro de páginas ligadas
porque, sendo bom, a gente abre sofregamente a dedo:
espátulas não há... e quem é que hoje faz questão de
                               [virgindades...
E quando minha alma estraçalhada a todo instante pelos
                               [telefones
fugir desesperada
me deixará aqui,
ouvindo o que todos ouvem, bebendo o que todos bebem,
comendo o que todos comem.
A estes, a falta de alma não incomoda. (Desconfio até
que minha pobre alma fora destinada ao habitante de
                               [outro mundo).
E ligarei o rádio a todo volume,
gritarei como um possesso nas partidas de futebol,
seguirei, irresistivelmente, o desfilar das grandes paradas
                               [do Exército.
E apenas sentirei, uma vez que outra,
a vaga nostalgia de não sei que mundo perdido... 

 
Experimentem o desafio! Beijos... 

terça-feira, 14 de abril de 2015

Fora da zona de conforto: A GUERRA DO FIM DO MUNDO de Mario Vargas Llosa.

Como são duras, certas realidades...

 
Peguei a ideia de falar sobre livros que me tiraram de minha zona de conforto com a doce Jaqueline do canal ESTANTE ALADA no YOUTUBE (Jackie criou o tema e me deixou copiar). Ela definiu os livros desta categoria como aqueles que nos incomodam por tratarem de assuntos áridos e difíceis de encarar.

Já li alguns que se encaixam neste “perfil”, e escolhi para fazer o primeiro artigo com este tema um livro que trata de um fato histórico: A Guerra de Canudos.
 
"Este é um dos livros mais importantes de Mario Vargas Llosa, um épico latino-americano em que o autor reconta a Guerra de Canudos - conflito que está entre os mais dramáticos da história do Brasil."
 


 
 
A GUERRA DO FIM DO MUNDO
Autor: Mario Vargas Llosa
Editora Alfaguara
606 páginas
 
 
 
 
 
 A Campanha de Canudos foi o embate entre o Exército Brasileiro e os integrantes do movimento popular liderado pelo líder espiritual/ideológico Antonio Conselheiro.

O perrengue durou de Novembro de 1896 até Outubro de 1897. Período em que três expedições militares saíram derrotadas pelos “guerrilheiros” de Canudos e uma quarta investida derrubou de vez o sonho socialista do arraial e seus habitantes.
As baixas: 5.000 militares e 20.000 civis...


- Analisem os números.


Arraial de Canudos - Belo Monte BA
 
A GUERRA DO FIM DO MUNDO foi, para mim, uma das leituras de mais difícil travessia. E tenho certeza que só consegui chegar ao fim desta jornada porque Mario Vargas Llosa é um escritor fenomenal.

São muitos os pontos de vistas e diversas as agruras. O livro conta as histórias de várias personagens que vão se envolver de forma direta ou indireta na Campanha, mostrando os caminhos percorridos por elas até o fatídico Outubro e alguns meses após o massacre.

São na sua grande maioria, caminhos duríssimos. Tanto, que quando eu pensava que já tinha lido o drama mais sofrido do texto, lá vinha uma pancada ainda mais forte.
Mas apesar do cenário de horror que compõem a narrativa – a seca, a miséria, a violência, a ambição, os pontos de vistas tortos (principalmente dos poderosos) – este é um relato feito com muita beleza e poesia.
 
"Os carinhos, os arrulhos, o consolo, o cheiro dessa mulher que matara o próprio filho (...) e que se tornara a sacerdotisa de Canudos, eram parecidos com o ópio e o éter, uma coisa suave e letárgica, uma grata ausência, e se perguntou se alguma vez, quando criança, a mãe que ele não conheceu o acariciou assim e lhe transmitiu esta sensação de invulnerabilidade e indiferença ante os perigos do mundo." (p.514)

 "A política foi uma carga que assumiu por incapacidade dos outros, pela excessiva estupidez, negligência ou corrupção dos outros, e não por vocação íntima: sempre o incomodou, aborreceu, sempre lhe pareceu uma tarefa insossa e deprimente, pois revelava, melhor que qualquer outra, as misérias humanas. Além disso, sentia um rancor secreto contra a política, tarefa absorvente que o obrigara a sacrificar a vocação científica que sentia desde menino, quando colecionava borboletas e fazia herbários." (p.571) 

M.V.L - Escreve muuuuito!
 
Viva Vargas Llosa! Que conseguiu fazer dor e sofrimento, pedra e areia, bala e sangue, verterem um lindo livro.


 

quarta-feira, 8 de abril de 2015

3 Bons livros para ler rapidinho (#3)

Como eu joguei o preconceito pro lado e me diverti de verdade ;)

 

Hoje vamos de Agatha Christie!

A primeira vez que li a Sra. Christie foi no ano passado, depois de assistir a uma resenha no YOUTUBE sobre um dos seus livros. Vou logo confessando que sim, eu tinha um pouquinho de reservas em relação à Dama do Crime, pois já havia escutado um bando de gente falar que os livros delas são repetitivos, que acabam sendo meio previsíveis e BLÁ BLÁ BLÁ...

Aí eu pensei:

- Sabe de uma coisa? Eu não pretendo ler todos os (66) romances policiais dela. Então, enquanto eu estiver me divertindo, tá valendo!
Não deu outra!
Os três primeiros livros que li são todos de investigações conduzidas (e solucionadas, é claro!) pelo impagável HERCULE POIROT. Ele é muito engraçado! Embolei de rir com a falta de modéstia e as ironias da personagem. Se você pensa como eu pensava, sai dessa e leia uma das aventuras de POIROT. É uma pílula contra estresse!



Ah Minha Gente... dá pra entender porque tem um monte de fãs viciados em Agatha!
Vamos aos lidos na ordem em que chegaram até mim.

Livros 1:


O ASSASSINATO DE ROGER ACKROYD
Editora Globo
308 páginas


"Em uma noite de setembro o milionário Roger Ackroyd é encontrado morto, esfaqueado com uma adaga tunisiana (...). A morte do fidalgo industrial é a terceira de uma misteriosa sequencia de crimes (...). O Assassinato de Roger Ackroyd é um dos mais famosos romances policiais da rainha do crime." 



Poirot está se aposentando e resolve passar uma temporada na bucólica cidadezinha de King's Abbot cultivando abobrinhas (KKKKKK!). É obvio que a aposentadoria vai pro beleléu e a aventura está garantida. Uma narrativa peculiar e muito bem orquestrada.

Livro 2:



MORTE NO NILO
Editora Nova Fronteira
248 páginas


"Bela, rica e inteligente, a jovem herdeira Linnet Ridgeway parece conseguir tudo o que quer. No entanto, quando rouba o noivo de sua melhor amiga e se casa com ele sem pensar duas vezes, talvez Linnet esteja indo longe demais..."





Comecei a ler na fila das Lojas Americanas e acabei comprando... Este livro tem situações e diálogos pra lá de inusitados. Apesar dos crimes que acontecem eu dei muitas gargalhadas, pois A.Christie sabe equilibrar muito bem momentos de tensão com momentos de alta comicidade.


Livro 3:



A CASA DO PENHASCO
Editora Nova Fronteira
220 páginas


"Nick, a jovem moradora da Casa do Penhasco, escapou da morte por três vezes em três dias. Mas, foi necessário um quarto acidente, um tiro de raspão, para convencê-la de que alguém estaria tentando matá-la. Agora, o detetive Poirot se vê diante de um novo desafio: impedir que este crime aconteça."




Peguei este com a corajosa Danielle Lima - que me emprestou sem medo  (Valeu Dani!!!) - e foi o único dos três livros desta lista em que Hastings, o fiel escudeiro de Poirot, aparece na trama (nos outros ele estava ausente por razões X). Eu adorei a dinâmica dos dois juntos. O narrador de A CASA... é o próprio Hastings e os comentários que ele faz sobre a personalidade e as atitudes do detetive são hilários!

PS: Eu já devolvi o livro para a dona! :)

Só mais uma coisa que eu preciso dizer para vocês meus amigos de leitura:

KEEP CALM
AND
TRUST
POIROT!!!

Um beijo e boas leituras.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Um aplicativo para leitores: LIBRIVOX

Como eu descobri uma forma de "agilizar" a leitura de clássicos em inglês...

 
Se você ainda não conhece, dê uma chance!
 
 
O LibriVox é um aplicativo para smartphones que disponibiliza uma biblioteca com mais de 6.000 áudio-livros e que você pode baixar gratuitamente.
 
A maioria dos áudio-livros são, obviamente, em inglês, mas há vários livros em espanhol, francês, italiano, português num total de 35 opções de idiomas.
 
Os livros do acervo são os que já caíram em domínio público, ou seja, se você só gosta de lançamentos este aplicativo não vai suprir suas necessidades. 
 
Como eu disse estes arquivos podem ser acessados pelo seu celular, porém no site librivox.org você além de buscar e ouvir as gravações, ainda tem a opção de baixar os áudio-livros.
 
Muitos e muitos clássicos..

  
A primeira vez que utilizei o aplicativo foi durante minha leitura de JANE EYRE. Eu estava sentindo muita dificuldade para engatar na história por causa do modo como as sentenças eram escritas e o vocabulário rebuscado.
 
"Ler um livro clássico em inglês é uma aventura totalmente diferente de ler um livro do século XX ou XXI em inglês!"
 
Usar o aplicativo para fazer o Shadow Reading (leitura conduzida)  ajudou a me conectar com o clima da história e a acompanhar o fluxo da narrativa. Foi uma experiência muito prazerosa e produtiva.
 
Gostei tanto que já estou com NORTHANGER ABBEY de Jane Austen e A TALE OF TWO CITIES de Charles Dickens programados para breve.
 
Se você torce o nariz para áudio-livro, repense sua opinião. Eles não substituem a leitura, concordo, mas podem ser auxiliares eficientes para os textos mais "desafiadores" em língua estrangeira. 

 
BOAS ÁUDIO-LEIRURAS ;)
 

sábado, 4 de abril de 2015

Eu recomendo: O SEGREDO DO MEU MARIDO de Liane Moriarty

Como uma história bem contada pode hipnotizar o leitor até a última palavra...

 
 
 
 "Passando por aqui rapidinho só para dá uma sugestão de leitura."
 
 
Se fosse depender da capa e do título, este livro JAMAIS teria chegado às minhas mãos. Mas graças a Deus existem bons canais literários e eu acabei me deparando com ótimos comentários sobre O SEGREDO DO MEU MARIDO.
 
"Cecilia Fitzpatrick tem tudo. É bem-sucedida no trabalho, um pilar de sua pequena comunidade, uma esposa e mãe devotada. Sua vida é tão organizada e imaculada quanto sua casa. Mas uma carta vai mudar tudo, e não apenas para ela: Rachel e Tess mal conhecem Cecilia - ou uma à outra - mas também estão prestes a sentir as repercussões do segredo do marido dela." 

 
 
 
 
 
 
 
O SEGREDO DO MEU MARIDO
Autora: Liane Moriarty
Editora Intrínseca
366 páginas
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uma trama boa, mas ouso dizer que a grande atração deste livro está no modo como o narrador nos apresenta os eventos.
 
É um narrador em terceira pessoa absolutamente onisciente. Ele sabe TUDO o que acontece e aconteceu com TODAS as personagens. Sabe o que se passa dentro da cabeça de cada uma delas e à medida que a história avança vai expondo de forma mais e mais aprofundada as turbulências destas cabeças.
 
 
... e chegar tarde demais!
 
Terminei o livro com a sensação de que havia lido uma história narrada pelo Destino, pois só Ele poderia fazer o que este narrador faz: dizer para o leitor o que teria acontecido se as coisas tivessem tomado um rumo diferente.
 
O final é estarrecedor e o que NÃO acontece deixa um peso enorme em nosso coração.
 
Recomendadíssimo!
 
 
 
Boa leitura para todos e Feliz Páscoa!